23 jun 2022

São José Cafasso, o "Santo da Forca"

Padroeiro [1811-1860]

Origens

Nascido em Castelnuovo d’Asti, na Itália, no ano de 1811, onde também nasceu o grande São João Bosco, José era filho de pais camponeses e foi o terceiro de quatro irmãos. Desde criança, sentiu-se chamado ao sacerdócio, que foi se tornando cada vez mais forte no decorrer de sua vida com Deus.

Vida sacerdotal

Entrou para a formação sacerdotal e se tornou padre aos 23 anos, em 1834, destacando-se no meio de tantos por seu amor aos pobres e zelo pela salvação das almas. Depois de comprovado e dedicado trabalho na Igreja de São Francisco em Turim, José assumiu, com toda sua bagagem de pregador, confessor e iluminado diretor espiritual, a função de reitor e formador de novos sacerdotes.

Bento XVI disse que este santo instituiu uma “escola de vida e de santidade sacerdotal”.

Dom Bosco

Dom Bosco foi um dos vocacionados que desfrutou das formações e aconselhamentos deste santo, pois como um sacerdote sintonizado ao coração do Cristo Pastor, sabia muito bem colocar sua cultura eclesiástica, dons e carismas a serviço da salvação do próximo.  Foi ainda um grande apoiador e financiador nas obras de São João Bosco com os jovens.

“Padroeiro dos Encarcerados e dos Condenados à Pena Capital”

Dentre tantos ofícios assumidos por este homem incansável, despontou José Cafasso na evangelização dos condenados à forca, tanto assim que ficou conhecido como o “Santo da Forca”. A definição trata-se diretamente à sua obra ao lado dos condenados à morte nas prisões “Le Nuove” de Turim. O local foi transformado em um museu, memorial das condições humilhantes em que viviam os encarcerados. Padroeiro dos presos, José Cafasso sempre usava de imensa misericórdia, poderoso veículo do amor paterno e consolador de Deus.

Páscoa e Beatificação

São José faleceu em 1860, com 49 anos.

Trinta e cinco anos mais tarde, iniciou-se seu processo de beatificação no tribunal diocesano de Turim e ele foi canonizado em 1947, juntamente com São João de Brito.

A minha oração

“Senhor, que à exemplo de São José Cafasso, eu possa também me entregar ao zelo aos irmãos e à salvação das almas. Peço, pela intercessão deste santo, por todos aqueles que hoje se encontram em situações de prisões: sejam elas físicas, espirituais ou psicológicas. Libertai-nos, Senhor. Amém!” 

São José Cafasso, rogai por nós! 

Outros santos e beatos celebrados em 23 de junho:

  •  Mártires de Nicomédia, hoje Izmit, na Turquia, que sofreram serenamente o martírio pelo nome de Cristo. († 303)
  • Santa Ediltrudes, abadessa, no mosteiro de Ely, na Inglaterra oriental, que, sendo filha de reis e ela própria rainha da Nortúmbria, depois de recusar duas vezes o matrimónio, recebeu do santo bispo Vilfredo o véu religioso no mosteiro por ela construído, no qual, com o seu exemplo e exortações, ela presidiu como mãe de muitas virgens. († 679)
  • São Bílio, bispo e mártir, atualmente na França, que, segundo a tradição, foi morto pelos Normandos quando saquearam a cidade. († c. 914)
  • Beato Lanfranco, na Lombardia bispo, homem pacífico, que sofreu muitas tribulações para promover a paz e concórdia na cidade. († 1194)
  • São Valério, atualmente na Bélgica, presbítero, que, segundo a tradição, foi morto a golpes de remo, quando atravessava o rio Mosa, por um presbítero, seu sobrinho, cuja vida viciosa censurava. († 1199)
  • Beata Maria, em território da atual França, a que, dotada de graças místicas, com o assentimento do seu esposo viveu reclusa numa cela, e depois fundou e dirigiu o instituto designado das «Beguinas». († 1213)
  • Beato Pedro Tiago de Pêsaro, hoje nas Marcas, região da Itália, o presbítero da Ordem dos Eremitas de Santo Agostinho. († c. 1496)
  • São Tomás Garnet, em Londres, na Inglaterra, presbítero da Companhia de Jesus e mártir, que, ordenado sacerdote no Colégio dos Ingleses de Valladolid e tendo regressado à Inglaterra, foi duas vezes encarcerado e finalmente sofreu o patíbulo de Tyburn, no reinado de Jaime I. († 1608)
  •  Beata Maria Rafaela (Santina Cimátti), em Alátri, no Lácio, região da Itália, Virgem, das Irmãs da Misericórdia para os Enfermos. († 1945)
  • Fontes:
    • Martirológio Romano
    • Arquisp
    • Vaticannews
    • Franciscanos.org

    – Pesquisa e redação: Catarina Xavier – Comunidade Canção Nova

Comentários

Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.