20 nov 2021

Santo Edmundo

O rei Offa reinava nos Estados ingleses. Desejando passar seus últimos dias em Roma, no exercício da piedade e da penitência, passou a coroa para Edmundo, descendente dos antigos reis anglo-saxões da Grã-Bretanha, que contava com apenas quinze anos de idade.

Segundo historiadores, Edmundo foi coroado no ano 855, num dia de Natal. A nobreza e o clero, reuniram-se em Attleborough (Norfolk) para proclamá-lo rei. Suas atitudes morais tornaram-no modelo para os bons reis.

Sua aversão aos aduladores tornava sua ambição em manter a paz e assegurar a felicidade de seus súditos cada vez maior. Daí surgiu o grande zelo na administração da justiça e na implantação dos bons costumes nos seus Estados. Foi o protetor dos súditos, sobretudo dos mais necessitados; foi protetor das viúvas e dos órfãos, além de ter sido o sustento e apoio dos fracos e oprimidos. O fervor no serviço que prestava a Deus realçava o exemplo de suas outras virtudes. A exemplo dos monges e de várias outras pessoas piedosas, aprendeu o saltério de cor (livro utilizado nas devoções judaica e cristã, contendo o Livro dos Salmos – 150 Salmos).

Em seu décimo quinto ano de reinado, foi atacado pelos Dinamarqueses Hínguar e Hubla, príncipes desta nação, verdadeiros piratas, que desembarcaram na Inglaterra. Edmundo, a princípio, manteve-se sereno, confiando num tratado que tinha feito com os bárbaros logo que vieram para o seu país. Mas quando viu que não respeitaram o tratado, reuniu o seu exército. Mas os infiéis receberam auxílios. Perante este reforço do inimigo, Edmundo sentia-se impotente para o combate.

Os bárbaros fizeram-lhe várias propostas, mas Edmundo as recusou por serem contrárias à religião e à justiça que ele devia aos seus súditos. Escolheu expor-se à morte do que trair sua consciência. Carregaram-no de pesadas cadeias e levaram Edmundo à tenda do general inimigo. Fizeram-lhe novas propostas. Respondeu com firmeza que a religião lhe era mais cara do que a vida, e que nunca consentiria em ofender a Deus, que adorava. Hínguar, enfurecido com sua resposta, mandou açoitá-lo cruelmente.

O santo sofreu todos os maus tratos com paciência invencível, invocando o Sagrado Nome de Jesus. Por fim, foi condenado a ser decapitado, recebendo a palma do martírio a 20 de novembro de 870.

É considerado mártir pelos ingleses, que dedicaram-no numerosas igrejas. No Martirológio Romano, Santo Edmundo é lembrado por seu grande exemplo de profissão de fé e entrega a Deus, merecendo fazer parte dos mártires de nossa Igreja.

Santo Edmundo, rogai por nós!

Referências:
Martirológio Romano
Livro ‘Santos de cada dia’ – Organização de José Leite. S.J. 

Comentários

Pai das Misericórdias

Pedido de Oração

Enviar
  • Aplicativo Liturgia Diária

    Com o aplicativo Liturgia Diária – Canção Nova, você confere as leituras bíblicas diárias e uma reflexão do Evangelho em texto e áudio. E mais: você ainda pode agendar um horário para estudar a palavra por meio do aplicativo.